Pêlo na Venta experimenta | Feira Bagageira

Todos nós temos uma data de cacarias, pingarelhos e coisas que não usamos lá em casa que podem facilmente ser monetizadas por qualquer alma empreendedora que esteja a precisar de uns trocos extra. Vender coisas usadas numa feirinha tinha tudo para ser uma experiência com elevado potencial de storytelling. No entanto, muito pouco aconteceu. #spoileralert

Nestas feirinhas vale tudo: roupas, loiças , CDs, livros, remédio para as bichas… Sejam criativos,  se pode ser usado por alguém, vale dinheiro.

Aproveitem o cleptomaníaco que há em vós quando ficam em hotéis e que decide passar uma limpeza nas amenities do WC, e depois vendam também conjuntos de higiene para viagens – aquela touca de plástico que parece não servir para mais nada a não ser para proteger os sapatos quando forem pintar a vossa sala de jantar, também pode dar jeito para um tratamento com Quitoso.

Não parece, mas com um bom pitch, este pode ser um produto com elevadas facetas de utilização. #empreendedora

A Feira Bagageira teve lugar, desta vez, no Parque Nascente em Rio Tinto e eu lá fiz o meu inventário e recolha do stock com mais potencial para comércio: Uma mala de roupa, uns saquinhos de bijuteria e uns 5 pares de sapatos de p#tona.

Pagam 15.00 € para se inscreverem e levam o carro da amiga com a mala maior (podem participar mais do que uma pessoa por isso dá para dividir este custo). Com este valor, alugam um espaço de estacionamento e uma área de display de 2m².

Depois, jogam um Tetris gostoso para enfiar no carro 4 malas de roupa, 10 sacos de produtos aleatórios, uma mesa, um charriot, 20 cabides, 3 humanos e estão prontos para armar a tenda.

Empreendedores a sério sabem adaptar-se a imprevistos e bastou chegar ao Parque Nascente para sermos presenteadas com o primeiro: Chuva. “Devido às condições climatéricas, a feirinha vai ter lugar no piso -3.”

O piso -3 do Parque Nascente é aquele onde não chegam carros, quanto mais pessoas. Sabem que a coisa promete quando perguntam ao staff do Shopping como ir para lá e o seguinte discurso acontece:
– Desculpe, sabe como ir para o -3?
– É por aqui, tem aqui o elevador.
– Pois, mas o elevador só vai até ao -2.
– Ah, então é porque não é por aqui.

Meia hora a montar o estaminé e agora só falta chegarem as pessoas enquanto fazemos contas à gasolina, ao aluguer do espaço, às etiquetas para preços compradas no chinês e aos cafés que vamos precisar para aguentar o dia.

11:00 – Aparece a primeira cliente. Afinal não. Era só outra vendedora a estudar a concorrência.
11:45 – Iniciamos os turnos para café.
12:20 – Aparece a primeira cliente. Agora sim. Afinal não. Enganou-se no parque e não sabe do carro.
12:40 – “Alguém quer mais batatas fritas?”
13:10 – Iniciamos os turnos para almoço.
13:30 – Aparece a primeira cliente. Desta é que é. Bisbilhota a oferta e cobiça um par de brincos. Regateamos o preço e vendo-lhe uns brincos de prata por 1.00 €.
14:40 – “Isto está um bocado mortinho, não?”
15:00 – Eu decido tomar medidas drásticas para chamar público e faço de manequim vivo:

CONJUNTO 1: Beta Pediátrica promove o Tratado Clínico da Pediatria e um casaco da avó para o dia em que ela sair do hospital. Leve os dois artigos por apenas 1.00 €. Negociável.

 

 

 

 

 

 

 

 

CONJUNTO 2: Noiva em pose influencer promove um par de cortinados vintage com cheiro a naftalina. Leve dois pares por apenas 1.00 €. Negociável. 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONJUNTO 3: Deusa Hindu exótica promove lenços e bijuteria diversos e variados, únicos e brilhantes. Leve o outfit completo por apenas 1.00 €. Negociável. Não se vende o modelo, mas faz presenças.

 

Resultados, perguntam vocês? Depois de todo este esforço, nem a Nossa Senhora da Bagageira nos ajudou. Nada. O total de vendas deste dia foi de 1.00 € que, tendo em conta os visitantes (cerca de 10), resultou numa taxa de conversão de 10% – É assim que se ilude um Chief Marketing Officer. #marketer

Se estiverem a pensar participar em algo deste género, deixo-vos 7 dicas aqui da feirante com mais jeito para a teoria do que para a prática. Nenhuma resultou, mas tentem:

  1. Packs! Packs de brincos, packs de cortinas, packs de roupa de bebé;
  2. Rifar stock;
  3. Na compra de “qualquer coisa”, oferta de saco mistério;
  4. Na compra de 1 par de sapatos de p#tona, oferecemos leggings tigress;
  5. Na compra do assento de gel, oferecemos massagem às costas;
  6. Na compra do vestido de Noiva, oferecemos workshop de Tinder + webcam;
  7. Na compra de “qualquer coisa”, leve o resto.

Arrumamos as coisas e viemos embora. Mais tarde, dei o euro a um moedinha. #foigiromasnãovolto

Ajuda o pêlo a crescer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.